Histórico

O Laboratório de Patologia Dr. Edilson Gurgel fundado em 1976 é um dos mais tradicionais e conceituados Laboratórios de Patologia e Análises Clínicas do Estado do Ceará. Oferece exames em várias especialidades médicas.
Sua história confunde-se com a de seu criador, Dr. Edilson Gurgel Santos, formado pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1946, que ao retornar para o Ceará, iniciou o projeto de criação de um Centro Laboratorial na Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza.
Com apenas alguns equipamentos como microscópio, uma centrífuga, um autoclave e uma estufa deu início a realização de alguns exames em materiais biológicos. Aos poucos, a qualidade das avaliações e o empenho do Dr. Edílson Gurgel, chamaram a atenção da comunidade médica cearense. Ética médica e a valorização dos seus colaboradores foram os alicerces para a continuidade do Laboratório.

Dr. Edílson Gurgel Santos

Médico

 

Nasceu em 27 de Julho de 1920 em Fortaleza/Ceará, filho de Raimundo Santos e Maria do Carmo Gurgel Santos.
Cursou o Primário no Grupo Escolar Santos Dumont e o Secundário no Colégio Militar do Ceará e no Colégio da Bahia.
Em 1943, casou-se com D. Yolanda Monteiro Gurgel Santos com quem teve 4 filhos: Ilka, Anamaria, Edilson Junior e Roberto.
Em 1946, graduou-se em Medicina pela Universidade Federal da Bahia e posteriormente realizou Curso de Especialização em Patologia Clínica pela Associação Médica Brasileira em São Paulo.
Em 1947, foi aprovado em concurso para Médico da Polícia Militar do Ceará, fundou seu primeiro Laboratório de Patologia Clínica e passou a pertencer ao quadro de médicos do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, realizando exames de Patologia Clínica em pacientes internados.
Em 1948, fundou o primeiro Banco de Sangue do Estado do Ceará.
Em 1950, foi aprovado em Concurso para Professor – Assistente de Patologia Clínica e, posteriormente, Professor – Adjunto, fazendo parte da equipe que iniciou a construção da Faculdade de Medicina do Ceará. Em Porangabussu, fundou o Laboratório Central do Hospital da Faculdade de Medicina (1960 a 1972) e em 1972, fundou o Banco de Sangue do Hospital da Faculdade de Medicina, o Banco de Sangue da Maternidade-Escola Assis Chateaubriant e montou o Laboratório e Banco de Sangue do Município.
Foi Presidente do Centro Médico Cearense no período de 1968 -1972, onde ocupou todos os cargos de diretoria e construiu o Clube do Médico.
Ocupou os cargos de Superintendente do Hospital Escola da Faculdade de Medicina, Vice-presidente da Associação Médica Brasileira regiões Norte e Nordeste, Presidente da Sociedade Brasileira de Patologia (1966 -1968 e 1970) e Presidente da Sociedade Cearense de Patologia (1960-1963 -1967-1977).
Em 1972, juntamente com outros renomados médicos, montou o Laboratório de Patologia Clínica S/A e em 1973, fundou o CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA – CRIO para tratamento de pacientes com câncer, onde funcionou o primeiro Acelerador Linear de Partículas, ao lado de uma Bomba de Cobalto.
Em 1995, foi distinguido como SÓCIO HONORÁRIO DA ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA por relevantes trabalhos prestados à Medicina Cearense particularmente à Patologia Clínica.
Em 2012, foi homenageado pela Câmara Municipal de Fortaleza com a Medalha Boticário Ferreira, mais importante comenda outorgada pelo Legislativo municipal.
Faleceu em 19 de Julho de 2014, aos 93 anos, deixando um legado de amor e dedicação à família e à Medicina Cearense.